sábado, 2 de janeiro de 2010

Noção do saber



Noção do saber

Acordo uma vez mais e longe de ti.
Sentado fico a reviver lembranças,
Num presente repleto de esperanças.
E quero, mas eu hoje ainda não te senti.

Contra o hábito, fiquei. Não me arrependi.
Dos meus sonhos ficaram as tuas danças,
Livre gostar, amor de entregas mansas.
Para saciar a sede te percorri.

Descerro a estampada insígnia da alegria,
Por poder sentir um homem crescido,
Nesta noite fria de mais um outro dia.

Pudesse eu gritar para ser ouvido,
Pela musa viva inspiradora e guia,
Para nunca mais viver esquecido.

Albergaria-A-Velha, 19 de Dezembro de 2000.

Sem comentários:

Enviar um comentário