sexta-feira, 16 de março de 2012

Um impulso


Um impulso levou-me para mim
E para a beira-mar de um oceano
De tranquilidade irrefutável
Onde a água exibia os seus peixes
No momento em que estes
Se preparavam para dançar
No momento em que as areias imersas
Riam com gosto e pausadamente
Da figura fácil de uma rocha ensimesmada
No momento em que o breu do céu
Tingia de negro a terra
E eu emanava uma luz ateada.


7 comentários:

  1. E se um desconhecido te oferecer flores, isso é impulso... não, era impulse :))

    Gostei, mesmo muito.

    ResponderEliminar
  2. Tens dois pontos e um «P» muitos «giros»!
    [Eh! Eh!]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostas?

      Sou eu a deitar-te a lingua de fora de forma rudimentar :D :D :D

      Eliminar
    2. :D


      Eu sei, só que não tenho outra forma rudimentar para dizê-lo.


      ;)

      Eliminar