quinta-feira, 18 de junho de 2015

de vida


castelo de vide | portugal
[castelo de vide | portugal] 




o amanhã, no amanhã de ontem, 
é o amanhã de amanhã 
e, num abraço esclarecido, 
de quem chega como quem parte, 
o amanhã não é mais do que: agora. 

nada foi prometido simples. 
não sei se a minha simplicidade é um cais, 
sei que caio, mas o meu tombo é um voo. 
e nesse voo não saberei com quantas palavras posso 
dizer que gosto de ti. sei que amo com quantos gestos 
de carinho te posso amparar. esse é o destino… 



 [livro aberto]



  

2 comentários:

  1. A palavra tem vida própria e sempre nos encontramos nela.
    E que lindo poema fizestes com elas. E para ela.
    Parabéns
    abraços

    ResponderEliminar
  2. maneira original de dizer
    amo-te
    muito belo
    bom fim de semana.
    beijo
    :)

    ResponderEliminar