sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

dos azuis



- à generosa e gentil Piedade!



o que não sabes é que, por vezes, sou tomado, 
gentil e suavemente, pelos teus azuis (esteja, 
ou não, azul ou abraçado aos meus azuis). 
outras vezes, sento-me num ou noutro desses 
azuis e viajamos, eu e os azuis, até aos limites 
fantásticos onde tudo renasce. noutras vezes, 
ainda, sou eu que entro azul e silenciosamente 
nos azuis dos teus poemas, ou fotografias, para que 
me façam companhia. de uma forma ou de outra, 
há sempre uma profusão de cores e os azuis… 
sabes como são os azuis... transportam-nos!… 
eu voo até ao meu lugar, na minha praia, 
e amalgamo-me, depois, no meu mar!... 




5 comentários:

  1. E há lá coisa mais linda que os azuis?

    Beijinhos Marianos, Henrique! :)

    ResponderEliminar
  2. Adoro os azuis quando estao nos olhos que me veem...

    ResponderEliminar
  3. Que poema!
    antes de ler a dedicatória já gostava do titulo.
    depois de fazer uma análise, fiquei comovida e agradecida.
    nao tenho palavras.
    obrigada1
    :)
    vou colocar no facebok.
    posso?
    :)

    ResponderEliminar
  4. Um poema muito terno! Lindíssimo!
    (Boa semana!! :) )

    ResponderEliminar