segunda-feira, 25 de junho de 2012

Blá-blá-blá


Blá blá-blá blá blá-blá
Blá-blá blá-blá blá-blá
Blá-blá blá-blá blá blá
Blá-blá blá-blá blá-blá-blá
Blá blá blá-blá-blá blá
Blá-blá-blá blá-blá blá-blá
Blá blá-blá-blá blá blá blá
Blá-blá blá blá blá-blá
Blá blá-blá blá-blá blá-blá
Blá blá-blá blá blá blá-blá
Blá-blá blá-blá blá blá-blá
Blá blá-blá-blá blá-blá blá-blá

12 comentários:

  1. Provavelmente, ninguém te dirá nada sobre um poema desnecessário, inútil, incompreensível, inexplicável, ridículo, vão ... Comichoso; que é possível desertar no seu tom cáustico, bradar horrores e eriçar numa certa graça antipatizada...
    É possível que, talvez, não te conheça e há muito tempo que não falamos. É-me impossível deixar de te dizer que tive dificuldade na entoação, na dicção... Mas percebo o símbolo, o simbolismo, que se explica em si e por si. E gabo-te a coragem (que existe!).
    Como gostas de dizer quando aprecias, estimas: Gosto! [Digo eu, também, que o resto é conversa...]
    Rique, um beijinho!

    ResponderEliminar
  2. Olha quem aqui está...
    Desafio: Um poema por dia, durante todo o mês de julho, em troca de ajuda todos os sábados, até ao fim de julho de 2012.

    PC Rocha
    dPink Floyd - Marooned

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um ... poema ... por ... dia... durante ... todo ... o ... mês ... de ... Julho ... ... Ah! ... ... Ah! ... ... Ah! ... ...

      E senão?...

      Eliminar
    2. Sem «senão», podes agendar e ainda vale um almoço.

      Eliminar
    3. «Blá-blá-blá» é uma pedrada no charco...
      Abraço

      Eliminar