quarta-feira, 27 de junho de 2012

Remoto


Sempre que o descrevo e traço,
Quando para nós o mantenho,
Recolho do meu regaço,
Que foge da escolha e tenho,
Meu amor, o abraço.

Não te vou contar um segredo,
Que te amo não sabes sem penumbras
E o teu sabor, que guardo, sem medo,
Por entre silêncios que vislumbras,
Não nego, nem cedo.


6 comentários:

  1. Hummmm...segredos... Prometo que não pergunto que segredo é esse. Se esse segredo te fez feliz, vive-o.

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai, que fiquei sem pinga de sangue, por causa do segredo... Eh! Eh!

      ;)
      Beijinho

      Eliminar
  2. Um bonito poema Henrique!
    Bom fim-de-semana :)

    Beijinho Toblerone :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, S.o.l.!
      Um bom fim-de-semana para ti, também.

      E eu sou guloso... :)

      Um beijinho Toblerone, enorme...

      (Eu continuo a escrever que gosto muito dos teus «dois pontos pê»... E digo-te que o «pê» está cheio de chocolate... Eh! Eh! Eh!
      Um dia destes pago tudo de uma só vez...)

      Eliminar
  3. Alguma reserva, afirmação, resistência e empenho. Palavras que envolvem e acariciam.
    Um beijo.

    ResponderEliminar