terça-feira, 23 de abril de 2013

nessa visão




contigo escassamente antes
de ti nada agora
observo que tu nunca mais
e a poesia moribunda em mim
arroja-se à calçada
pejada de frases estropiadas
palavras e letras extenuadas
que me apelam guarida
e soluçam esgotados sentidos
desprovidos sentimentos
incautas emoções
descuidados afectos
enquanto recebo a todos
de ninguém

jaz o significado
de ostentar a aura de revoltas
o contrário que furta a vontade

eis que brota a energia do feito
força de antecedentes fadados
resiliência imune às partidas
nessa visão cúmplice
de mar onde ondas são reciprocidade
a essência é a maré
e égides são as verdades
não por não ser perfeito

comigo antes
de mim hoje
eu continuamente
e o verso vivo



18 comentários:

  1. porque sera que os poemas mais tristes são os mais bonitos.
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez exista uma maior intensidade, e, como que, uma forma de compensação.
      beijinho

      Eliminar
  2. É com prazer que leio seus versos. Merecem atenção especial. Bjs.

    ResponderEliminar
  3. Henrique,
    Nostálgico! A sua escrita apela aos sentidos ! Por momentos e, ou instantes sinto-me devoluta de palavras pela surpresa que assola o meu pensamento.

    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também fico sem palavras, pela tua grande generosidade.
      Obrigado, Ana!
      beijinho

      Eliminar
  4. nostálgico e com mesclas de inquietação

    um beijo

    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um turbilhão de sensações.
      :)
      Obrigado, Piedade!
      beijinho

      Eliminar
  5. Boa tarde, Henrique. Acho que agora estou começando a aprender a ver quando as pessoas tem blogs. Achei o seu, no seu perfil Google+. Sinto não ter achado antes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Ana!
      Bem-vinda!
      Obrigado, pelo comentário e visita!

      Eliminar
  6. Quando os versos são VIVOS as emoções são perenes. Abraço, meu amigo e grata por sempre entrar em meu blog

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que agradeço, Malu! O seu blogue é fantástico!
      beijinho

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Creio que pode passar essa sensação, sentimento, de tristeza, porque há um tom grave, no poema.
      Obrigado, Arco-Íris de Frida!

      Eliminar
  8. Não existe poesia triste mas sim um poeta assorbebado de sensações. Ter o dom de as espalhar no papel, é um triunfo.
    Parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É esse o sentimento, o de indivíduo assoberbado de sensações. De resto, és muito generosa!
      Obrigado, Maria do Sol!
      beijinho

      Eliminar
  9. Olá, 'Rike!
    A tua resiliência é admirável, crias empatia e vejo no poema um ser humano que olha para o horizonte e esboça um sorriso, mesmo quando transporta um mar revolto. Sobre a tua poesia repito-me e repito-me, mesmo em silêncio.
    Sabes que te acompanhamos, sempre. Saudades das tuas visões em prosa, em poesia ou fotografia. Acorda! :)
    Bjo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)
      Estou "acordado", mas a vida apela-me para tantas coisas, em simultâneo!...
      És muito gentil. Obrigado, a todos! :)
      beijinho

      Eliminar