terça-feira, 7 de maio de 2013

Consórcio



Vou juntar o mar, revolto e amigo;
A laguna que se faz ria;
A água doce de fontes, de lagos, de rios,
De ribeiras, valas e torrentes;
A escuridão e a luz;
O frio e o calor;
As cores;
Todo o reino vegetal;
Animais, pássaros, peixes e insectos…
Todo o reino animal;
Afectos, sentimentos, sentidos, sensações e vontades;
Os amigos e, se existirem, os não amigos;
As palavras,
Sons e silêncios, de várias naturezas.
Vou juntar a minha natureza,
A natureza com que sonhei
E toda a Natureza,
E hoje vou inventar um amor,
O amor que me tem inventado,
Sem sucesso!


  [18 de Abril de 2013]



7 comentários:

  1. com esse por do sol e essa alquimia de misturas felizes se não inventares o amor, o amor que te tem inventado desta vez vai-te ganhar
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na poesia resulta sempre. :)
      Luna, obrigado e um beijinho!

      Eliminar
  2. Leio-te tão bem!
    bjks

    ResponderEliminar
  3. ;)
    Sim, pode é não ser o Amor.
    :)
    Obrigado, Piedade!
    um beijo

    ResponderEliminar