terça-feira, 16 de julho de 2013

experiência aleatória




a-propósito
na minha vida há nuvens sem rima
e rimas sem poemas ou poesia
para além do olhar absorto e redimido

pouco importa se em prosa ou em verso
na minha vida há sol e lua
há férias e elementos que me sorriem
que de alguma forma chegarão
chão que se agrupa em azuis
em verdes e em transparências

deixo-me ser uma floresta de saudade
chove-me um silêncio miudinho
que derrama realidades que não se tocam
onde as confidências de inconfidentes pedem reserva
que reservo no recato de uma caminhada
e as rimas pedem nuvens
onde toda a verdade é um sonho



3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "chove-me um silêncio miudinho"
      A alma vive destes sentimentos que se espalham quando se tem o dom de ser poeta.

      Abraços

      Eliminar
  2. hoje li-te , e senti-me dentro do teu poema
    beijinhos

    ResponderEliminar