segunda-feira, 22 de julho de 2013

Vindo do quase




Quase sempre, quase quase.
Não me digas que o quase fica fora de mim,
Ou que me foco e vivo no quase,
Quase em silêncio.

O sonho pode ser um quase,
Que quase nos aproxima, ou quase nos afasta,
Numa quase realidade
E eu deixei um desejo, quase pintado,
Num, quase, tu e eu.

É quase um dia,
Neste quase mundo,
Numa quase rotação,
Onde quase estamos e quase existimos,
Numa roda-viva, vida, quase.

Eu nunca serei tudo;
Eu nunca serei todo;
Eu conheço a relatividade,
Vi o seu rosto a beijar-me, ou quase,
Abraçado, ou quase, pelos seus, ou quase, braços,
E eu quase.
Eu apenas.



5 comentários:

  1. "Quase" é uma partícula que nos deixa aquém de tudo, porque a insatisfação é uma característica do ser humano.
    Apesar do espírito lutador, digo tanta vez: Quase...quase consegui.

    Abraços

    ResponderEliminar
  2. o quase como o ser e não ser, nos dá e nos tira, talvez só o sonho seja o direito de cada um
    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Muitos "quase" polvilham a nossa vida, nem sempre nos apercebendo disso mesmo. O quase não soa a vitória... Como disse alguém, ficar em segundo é como estar em último. É desgastante ver algo tão próximo e fugir-nos entre os dedos. O segredo é insistir, persistir. Talvez um dia, o quase vire certeiro...

    ResponderEliminar
  4. Quase como possibilidade. Do quase só não temos a memória do que foi. Porque teve a emoção do antes.

    ResponderEliminar
  5. eu apenas e já é tanto...

    a foto está espectacular.

    :)

    ResponderEliminar