segunda-feira, 21 de maio de 2012

De braços num abraço desejado


Há batéis que transportam as marolas
No local onde nascem os desejos,
Por entre salvas e festejos,
Enquanto o meu peito cede, sem esmolas,
Onde se ordenam as vontades,
No centro de todas as realidades.

A escolha e o querer que remam para o mesmo lado,
E a possibilidade e a licença em sentido contrário,
Onde se desenha um círculo cerrado.

Um anseio de descobrir, que aspira ser descoberto,
Cresce nas determinações de sonhos,
Num tão remoto que se reconhece tão de perto.


2 comentários:

  1. Rique, um beijinho.
    Fiquei "presa" de imediato pelos «batéis que transportam as marolas».
    Encontro uma "luta" que adoro!

    Vera S.

    ResponderEliminar