sábado, 5 de maio de 2012

Tempo simples


Sim
Dorme
Por fim
A última centelha
A não conforme
Por concluir o dia assim

Os pedacinhos de espelho
(Pequenos charcos formados pela água da chuva)
Exibem o sorriso aberto
Em tom de concelho
Esperam que a Lua suba
E preencha o deserto
Num boletim informativo
Que fala de perspectiva
De uma qualquer alternativa
E de um qualquer motivo

O grito exclama no peito
Onde tudo importa
Onde se mantém aberta a porta
E o desejo é completo e perfeito.


8 comentários:

  1. Respostas
    1. :)
      [Grito como pateta - Eu brinco e satirizo-me bastante...]
      Sinto que estou a ficar rouco e repetitivo mas, não cansado.
      Creio não estar à altura do elogio/etiqueta de "poeta", mas grito.
      Beijinho

      Eliminar
    2. Ainda não ouvi o grito, andas a gritar muito baixinho. :)

      Eliminar
    3. :)
      ...Ou eu penso que grito e não grito (como nos sonhos...)...
      ...Ou grito muito longe, ou grito numa língua estranha, ou grito e não estás a ouvir bem...
      :))

      Eliminar
    4. Vou para a última hipotese... é que eu oiço mal :)

      Eliminar