sexta-feira, 29 de agosto de 2014

mais coisa, menos coisa




há tempo para umas palavras 
que se evadiram da poesia 
e que se perderam pela tarde, 
repartindo silêncios pelos olhos, 
lugares imensos que se expõem 
nas minhas mãos repletas de longe. 
longe nem sempre é a distância, 
pode ser a circunstância de escrever 
espaços no céu e na água do mar, 
o mesmo mar de corpo empanturrado 
de gritos de poemas contundentes 
e de caminhos em construção. 



-inicialmente no paralelo [25 de abril de 2014]


1 comentário:

  1. Boa tarde, Henrique imenso este poema.
    Imagem de um "Eu" ,que constrói e se faz poema , na inspiração de um lugar ...de um momento.

    ResponderEliminar