segunda-feira, 23 de abril de 2012

Cumeeira





2 comentários:

  1. Em imagens como estas sobressai mais (pelo menos a mim) o cume partido do que aqueles que são inteiros...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo. Por vezes, os defeitos, as imperfeições, as faltas... evidenciam-se; são, tendencialmente, destacáveis e mais relevantes; podem desarmonizar, fazer perder o valor estético/ornamental, apesar de poderem continuar a cumprir a parte funcional/utilitária.

      Posso ver, para além da perda do conjunto original, que se reconfigura, a perda individual, entre outros vislumbres e metáforas (contraditórios, até).

      Importa-me, na imagem/fotografia (ou escrita), sobretudo, que toque, que mexa.

      Eliminar