terça-feira, 8 de setembro de 2015

da raiz


aveiro | portugal
aveiro | portugal




ouço a ilha a estalar 
resgato os átomos dos sonhos 
bem sei que a minha felicidade é contundente 
conheço a luminosidade sem luz dentro 
o amor sem amizade dentro 
mas perdoem-me o meu amor desprendido 
eu não faço reféns nem mato 
quanto mais procurar a guerra 
já não aguardo 
amo 



[a ilha]



1 comentário:

  1. e amar algo ou alguém é muito bom!
    foto e poema em sintonia.
    beijo
    :)

    ResponderEliminar