terça-feira, 29 de setembro de 2015

diário






olá seis da manhã e promessa de um novo dia 
avanço pelas palavras adormecidas enquanto leio 
o outono transitório e o seu recheio 

sem pequeno-almoço o céu ainda dorme 
o acordar ainda me rói o sonho de despedida 
e a ilha como eu está erodida 

as palavras acordam excitadas 
mas não há tempo para sólidos fonemas 
que possam jorrar verbos líquidos entre poemas 

o que eu digo ou escrevo não tem que mudar o mundo 
que mundo que excitação que céu que seis da manhã 
quando se chega a esta hora em que a hora fica vã 

chamam-me como quem pergunta quem sou 
sou memórias que não se explicam fisiologia 
meninice amor poesia 




[a ilha]



6 comentários:

  1. Olá, Rique!
    :)
    Tem um não sei o quê de tão bom, o poema.
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  2. Ando precisando muito de ficar quieta em um lugar assim... gostaria de estar dentro dessa fotografia...

    ResponderEliminar
  3. O poema "leva-me" para tantos "lugares"...
    Bjks

    ResponderEliminar
  4. seis da manhã e a inspiração à solta.
    a foto está muito bela, pela à calma.
    bom domingo
    beijo
    :)

    ResponderEliminar
  5. ...um mar de poesia...mergulhei fundo!

    ResponderEliminar
  6. Linda imagem,bonitas palavras ! :) Um poema encantador !

    ResponderEliminar