sexta-feira, 25 de julho de 2014

argau 7





já não necessitávamos de imaginar o céu 
e sempre acreditámos que o passado era 
um local de passagem. e com esse alcance 
poderíamos amar o presente arrancado, até, 
aos maus caminhos que eu não fui capaz 
de cruzar. sei que foi uma distância que só 
serviu para nos fazer crescer os sentidos.
 
hoje, é difícil recuperar a razão dos dias 
proibidos, que eram a forma de seguir 
em frente. por vezes era só acreditar, 
mas nem sempre foi fácil atravessar 
a noite e a profundidade do pensamento. 
e, um dia, já só conhecíamos os caminhos 
que nós não frequentávamos.

os nossos dias nascem sem mágoas 
e o que sabemos do passado coincide, 
foi assim que conseguimos transpor o rio. 
não fiz grandes progressos na natação, 
mas tenho aprendido, bastante, a voar. 



6 comentários:

  1. Que dizer?!...
    Manifestar que passei, que passo assiduamente, leio e fico maravilhada!
    Bom fim de semana!
    Bjks

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Tal harmonia, na poesia da vida, traz sempre imensa alegria...
    ...beijos!

    ResponderEliminar
  4. gostei muito do poema e lembrei-me de um pensamento que deixo aqui

    "Pés, para que te quero, se tenho asas para voar?

    Frida Kahlo"

    bom fim de semana.

    :)

    ResponderEliminar
  5. Ler-te, Tugazzar, é uma delicia. Obrigada.

    ResponderEliminar
  6. O que temos de mais incrível é a capacidade de nos crescerem asas! :)

    ResponderEliminar