quinta-feira, 16 de agosto de 2012

E hoje… (XXXVII)


     …Circulei e tracei uma recta. Cruzei caminhos e vidas de braços cruzados, com os meus braços abertos e dei o braço a torcer.

     Nada de novo para conjugar. Tagarelei com poucos e falei com menos, ainda.

     Não lamento a vida e não sei se a vida me lamenta.


4 comentários:

  1. a vida não te lamenta ela esta aberta para ti para poderes traçar linhas. círculos, e dela fazeres vivências e seres feliz
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Este é um daqueles textos que nos deixam aproximar, como se fosse uma porta de entrada numa muralha.

    Agora, com a leitura e visualização em dia (aqui), testemunho que me deixei levar pelas tuas fotografias e textos (poemas e prosas). Agrada-me a liberdade poética, a criatividade e conteúdo em ambos os casos. Há bons blogues por aí e sem exageros ou bajulação, confesso que gosto deste teu espaço.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este é um espaço modesto e exíguo e há, de facto, bons blogues por aí.
      Laura, obrigado!
      Beijinho

      Eliminar