terça-feira, 21 de agosto de 2012

Gaivota (1)













6 comentários:

  1. Verniz Negro22/08/12, 15:41

    Finalmente consigo comentar e são espectaculares estas fotos. O pormenor da proximidade. Muito bonito.Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A plataforma Blogger e os navegadores de Internet(web browsers), por vezes, muitas vezes, não se "entendem". [:)]
      Obrigado, Verniz Negro!
      Beijinho

      Eliminar
  2. estão lindas as fotos, gosto em especial da ultima, por vezes também fotografo gaivotas por aqui há muitas, mas vou-te confessar que não gosto de as ver paradas, mas adoro quando estão a planar é um sentir de leveza de querer acompanhar aquele bailado mas também penso que por vezes só temos uma asa a outra esta quebrada por vários motivos então fica difícil voar, só resta ver.
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu tens fotografias lindíssimas com gaivotas. Também prefiro fotografá-las e vê-las, essencialmente, em movimento, embora me agrade observar a aparente apatia e, por outro lado, a curiosidade sagaz, e alguma teimosia, que manifestam quando estão pousadas.
      Por vezes nem asas temos, dito em linguagem poética.
      Obrigado!
      Beijinho

      Eliminar
  3. Obrigada por gostares das minhas fotos, e em linguagem poética não te vejas sem as duas asas,(se é que estas a falar de ti) mas mesmo no geral por mais difícil que a vida possa parecer se acreditarmos que temos uma fica mais fácil acreditar que podemos voar, quando procuramos no que é menos bom um motivo positivo, nem que seja a do aprendizado, já valeu a pena, e quando uma porta se fecha é porque no destino estava outra para se abrir, pode-te parecer pateta o que digo ainda assim corro o risco pois hei-de morrer
    sonhadora
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, falava de mim, sereno. Restam, sempre, ou quase sempre, as asas do pensamento e do sonho. Creio que também hei-de morrer sonhador.
      Beijinho

      Eliminar