quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Advimos


o mundo inverso



Ponto!
Encontro a desistência do texto
E a inércia de um símbolo curvado,
Pouco depois da lenda que antecede a pausa.
Na exclamação de algumas prudências,
Reduzo o que sei poder abreviar em sorrisos.
Pressinto que poderíamos ser um pouco um do outro,
E outro tanto,
E não o muito que nos separa.

À noite pintei o céu de verde,
Sem assunto,
Num padrão adormecido.
Num distraído sufixo da norma,
Fixei o vento
E ergui um tudo-nada de ordem
No simples que nos une:
Advir.
Ponto.


12 comentários:

  1. Henrique, leio-o simples, belo e poético!
    Bjks
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Laura!

      [Boa sorte!]

      Beijinho

      Eliminar
    2. Eu é que te agradeço! É bom poder fruir desta partilha, da generosidade.
      E escreve e escreve e fotografa, sobre tudo.
      "Inté"!
      :)
      Bjks

      Eliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Oi Henrique
    Não sei o que aconteceu com meu comentário_ foi registrado duplicado resolvi deletar um e sumiu o outro também rs
    Vou tentar resumir o que falava contigo _ dizia da mágica dos poetas em acariciar as palavras e dá-lhes a forma que entenderem.E ainda nos encantar ! Neruda via a cebola
    como "rosa de água com escamas de cristal" e aqui vejo o "ceu pintado de verde",
    Por isso amo as poetas e seus devaneios porque por aqui é isso nos 'une',
    abraços abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Lis!
      Esta plataforma de blogues (blogger), e em particular estes modelos dinâmicos, são algo temperamentais, instáveis e aparentam ter vida e vontade própria... :)

      Agora sem brincadeira, os modelos dinâmicos são algo instáveis. A duplicação é, normalmente, aparente e a disponibilização do espaço para comentar depende do navegador e de alguma insistência em recarregar a página (funciona um pouco melhor no Chrome e alguns "F5" depois, por vezes...). Por outro lado, já desisti de alterar o código HTML, voltei a deixar o código base e não estou com muito ânimo para escolher um novo modelo, personalizá-lo...

      Obrigado pelo comentário generoso, Lis!
      abraço

      Eliminar
  4. olho a tela e ponto.
    entro nela e decifro enigmas.
    não decifraveis
    por isso são enigmas
    leio o poema
    junto os dois e ficam um.
    ponto.

    muito bom.

    ponto.

    linha abaixo.

    sorriso :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Piedade!
      Um comentário bem melhor do que o post!
      Beijinho

      Eliminar
  5. Obrigada pelas palavras e pelo carinho demonstrado..
    Beijos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De nada! Obrigado pela sua partilha e atenção.
      Beijinho

      Eliminar
  6. pintar o céu de verde é pçorque a esperañça vive em ti

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dou guarida à esperança e vive em mim, mas, muitas vezes, nem nos vemos.
      :)
      beijinho

      Eliminar