terça-feira, 15 de janeiro de 2013

E agora


Estou.
Nada envolve onde nada tem valor,
Um momento oportuno é tudo na vida.
As promessas jorram alergia;
As palavras implodem antes de criar frases,
Muito antes de produzir sentido,
Em tempos que são mais do que prosa
E, seriamente, menos do que poesia.
Um verso podou a alma,
Sem retrocesso,
Para reescrever o que não pode ser reescrito,
Numa estrofe de barro, ervas daninhas, durante
E um novo fim.
Hoje não existiu princípio,
Embora possa ter ocupado o pensamento.
Abraça-me, sem ardil, ria!
Sorrio sem dolo.
Divirtam-se!


7 comentários:

  1. tudo pode ser antes de ser, pois dentro do Ser já o é,dito por palavras ou sentido na alma
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Gosto do poema e de sorrisos sem dolo.

    E agora?
    Um abraço e beijinho.

    ResponderEliminar

Obrigado, pelo seu comentário!