segunda-feira, 11 de março de 2013

Aos desejos ocupados





Estrondosos movimentos estimados
Percorrem, em juízos contíguos,
Os equívocos que abandonam ambíguos,
Simultaneamente consumados,
Cumulativamente clamados.

Noto uma nota de absinto,
Um pranto esconso e adverso
De um amor disperso,
Por fim, num fim extinto.
E no reverso,
Pontas soltas do universo,
Que resolvo,
E envolvo e devolvo.

Provêm da apatia aprumada,
Um breve vento fleumático, do início,
Acompanhado de zelos de precipício.
E, eu, um âmago de existência insubordinada,
Munido de morfemas
E cinza de poemas,
Trilho uma linha abandonada
Em convenções de frugalidade
E desprendimento de naturalidade,
Muito antes da alvorada.



1 comentário: