quarta-feira, 27 de março de 2013

Titónia:





Recolho o poema suspenso
Que eu queria ler nos teus olhos,
Adquiriu escolhos,
Perdeu o senso.

Composto por mais do que palavras, que adenso,
Temperaturas, cores, sons… Folhos;
Coisas invisíveis e indizíveis, em molhos!
Nunca obterá o fulgor propenso.

Brilho flexível de uma para sempre aurora,
Noite fora,
Elemento discordante de uma maré.

Ouve o que agora se demora
No rolar de uma lágrima, de pé,
Envolta na brisa de um narguilé.


2 comentários:

  1. e um dia o poema suspenso
    será poema presente

    muito belo o teu poetar

    um beijo

    ;)

    ResponderEliminar
  2. talvez em alguns momentos os olhos não digam tudo
    beijinhos

    ResponderEliminar