quarta-feira, 22 de outubro de 2014

para onde vou




sem deixar de ser intenso, deixo-me 
abrandar. sem abandono. quero 
entender este não saber bem para 
onde vou. sei para onde quero, e posso, 
ir. não faço conjecturas ou previsões, 
quero, assim, apenas, recordar-te 
para não me voltar a esquecer de mim... 




2 comentários: