quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Entretanto, novidades na ínsula, a chegada de um tal de Liebster Award



     E logo em duplicado!

     Hesitei entre a utilização de «um certo», pela definição de «certo», que se transformou em «um tal de», sem querer marginalizar. Falo de algo desconhecido e é aqui que entra o plágio descarado e a preguiça: O Liebster Award é um reconhecimento para os blogs com menos de 200 seguidores. São 11 perguntas, as quais temos que passar a outras 11 pessoas.

     Mas primeiro foram as obrigações, as minhas. Trabalho é trabalho, não azeda, neste caso, é certo, mas urge. Urgiu. Mais ainda, porque os personagens do governo não param de improvisar e arruínam qualquer guião ou plano Z elevado à potência de um número natural estupidamente grande. Cerejas.



     Vamos às respostas às perguntas:


     1. «O que achas do meu blog?»

     «A mesa de luz» e «Sentado no mocho»:

     Gosto, sem dúvida e acompanho assiduamente, não perco um poste, por feed, e visito com frequência.  Estão no cimo das minhas preferências e estima. São dois universos que se complementam e que propago na ínsua.

     «A mesa de luz»:

     É um universo plural, que é singular, original. Adoro as viagens pelos livros, pelas palavras, pelos locais e pelas imagens.

     «Sentado no mocho»:

     É um universo de poesia, de razão, de subtileza. É a viagem pelos sentidos e por um saber único.

     «A mesa de luz»  e  «Sentado no mocho»:

     Não estou a «dar graxa ao cágado»!


     2. «O que achas da blogoesfera?»

     É um mundo / fenómeno social. Por vezes, muitas vezes, uma réplica extremista da sociedade.
     «Vale a pena»!


     3. «Coisa mais bonita?»

     Afectos.


     4. «Principal objectivo»

     Levar estes ossos ao descanso, depois de saltos e sobressaltos e permanecer genuíno.


     5. «Maior vício»

     Chocolate e café. A ordem é arbitrária e as quantidades: industriais.


     6. «Música Preferida»

     «In My Defence» [Queen - Freddie Mercury]


     7. «O que mais odeias?»

     Detesto a intriga, principalmente.


     8. «Qualidade?”

     [Riso, ou seja, rio-me.]
     Não possuo qualquer tipo de certificação de qualidade.


     9. «Defeito”

     Milhentos e fora do alcance da sistematização.


     10. «Qual é o teu ídolo?”

     O mais próximo do conceito de pessoa a quem se atribui uma grande veneração ou que se considera como um modelo a seguir foi o meu pai.  Não tenho ídolos.


     11. «És feliz?”

     Possuo umas quotas de felicidade, em bolsa (alforge), por vezes estão em alta, outras em baixa, outras, ainda, nem por isso.

     Tenho os meus momentos de desvario e sou feliz.



     E os onze nomeados são, sem qualquer critério de ordenação:

  

     Feito! Algumas excepções depois, quando excepção (when exception), e do fazer enquanto (do while), antes e depois de: Se isto faz aquilo senão faz o outro (if/else). Agora vou intervalar e se correr de forma excepcional, entre voltas e reviravoltas, serão quatro horas líquidas de sono, que se espera sólido e sem despesa pública, mais taxa menos taxa.

     Obrigado à Ana e ao António!



16 comentários:

  1. Obrigada! :) o cágado está tranquilo :)))

    ResponderEliminar
  2. Eh! Eh! Eh!
    Só tu! "Desvairado"...
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  3. [O meu browser e o teu blogue engalfinharam-se... Hehehehe]
    Genuíno!
    Diverti-me! Gostei da tirada do cágado, uma surpresa, entre outras.
    Chega cá esses ossos para um grande abraço!

    PC Rocha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. [É normal! (O "engalfinhar".) Eh! Eh!]

      É, apenas, uma expressão idiomática (a "tirada").
      Um abraço!

      Eliminar
  4. Acho que vou chorar... :)))

    Isto só prova que o Sol, afinal, não foi um erro... Cruzei-me com pessoas fantásticas como tu, a Ana, o João Carreira, Milú, o eterno "sentado"... ;))) Desculpem se não menciono alguns...Vocês sabem a quem me refiro.

    Beijinhos e obrigada!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)))
      O tempo e a distância conferem essa capacidade de amenizar, ou de intensificar, as recordações. O Sol teve, e eventualmente terá, boas pessoas e pessoas fantásticas. Deixei tantos de fora.
      Mas não vamos chorar... ;)))
      Beijinho e um sorriso enormes

      Eliminar
    2. :) Invejo-te, sabes? Esse teu sentido de humor, mesmo ao responder a estas perguntas acima, a tua postura... Enfim, tenho muito gosto em "conhecer" uma pessoa assim!
      bjssss

      Eliminar
    3. :) Assim fico corado.
      Eu sou um simples que também é simplório. Creio que mais vale enriquecer do que ser Henrique.
      Eu tenho muita honra e gosto em conhecer-te.
      Beijinho

      Eliminar
  5. Muito bem,e assim de forma suave e divertida ficamos a conhecer um pouco mais de ti, agradeço o carinho de me mencionares no entanto nunca aceitei pois houve uma altura que eram quase diariamente estes pedidos e para não ser indelicada com ninguém preferi não o fazer, mas se não te importas dou aqui as respostas, assim fico no meio termo

    1. acho o teu blog muito bom, gosto da escrita onde os sentimentos fluem como o rio que corre para o mar.
    2. há de tudo no fundo somos pessoas do dia a dia atrás de um PC,mas não tenho tido problemas até acabei por fazer amizades bonitas que deixaram de ser virtuais
    3. filhos
    4.Ser sempre leal a mim mesma
    5.café
    6.gosto de todas desde que me despertem emoções
    7. falsidade
    8. altruísta
    9. teimosa
    10. não tenho
    11.a felicidade são pequenos momentos tento dar-lhes o máximo valor

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo e, sinceramente, sinto-me honrado com o meio-termo.
      Obrigado!
      Beijinho

      Eliminar
  6. Verniz Negro12/09/12, 19:27

    Venho agradecer-te com muito carinho e a grande admiração que tenho por ti, a tua lembrança de me mencionares. A grande alegria que tive em responder. Muito obrigada Henrique. Especialmente por poder privar contigo. São pessoas como tu que nos fazem aprender, muito mais. E muitas vezes vir a ser muito melhor. Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que agradeço!
      Sou um indivíduo comum, perfeitamente banal.
      Muito obrigado, Verniz Negro!
      Beijinho

      Eliminar