quinta-feira, 25 de agosto de 2016

o chão elíptico


(passadiço entre marinhas de sal e piscina de água salgada [em construção] - aveiro)


pretexto para a poesia, o teu enlace metafísico, 
razão de amor, encontra-me desprovido de qualquer 
subterfúgio. nascem alguns poemas mais. entram 
palavras acidentais de personagens mais casuais, 
ainda, ainda na sua forma física e o silêncio onde 
nascem alguns poemas mais doces do que os ovos 
moles, num acto perfeitamente amador de querer, 
de dar, de ter, de olhar, de escrever, de ser, de ficar: 
a fragilidade de quem está em construção, o abraço 
que entrego com o desejo sincero de feliz aniversário. 


 [elipse]


Sem comentários:

Enviar um comentário