sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Breviário [XX]


     Pede-me sentimentos e afectos que também me consigas dar.


11 comentários:

  1. Um pedido justo. Não se deve pedir nada que não se possa estar à altura de retribuir, ou poder ainda suplantar as expectativas. Lindo! Tão simples e tão verdadeiro, maravilhoso e... directo. Adorei. Espero que estejas bem. Bom fim de semana. Um beijinho

    ResponderEliminar
  2. Deixo-te mais um beijinho e um abraço apertado. Obrigada pelo teu carinho. Bfsemana amigo. Descansa bem!

    ResponderEliminar
  3. ;)
    Olá, Noctívaga!
    Eu é que agradeço.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Nem mais, nem menos. Apenas isso.

    ResponderEliminar
  5. Mas...os sentimentos e afectos não se pedem, eles de simples e profundos que são recebem-se e dão-se.
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguém nos pode pedir (muito menos exigir) o que não temos, ou o que não é um dever dar. Podemos transmitir e expressar o «acto de sentir» e «afectos», e podemos sentir sem o expressar ou transmitir. Também podemos dar e não ser aceite. Enfim, há muitos cenários, muitas possibilidades. Mas tudo o que temos, físico ou não, é passível de ser pedido, podemos entendê-lo e/ou aceitá-lo, ou não.
      Para ser prático e retirar a carga alegórica, mas muito, muito, conciso (a título de pequeno exemplo): Posso sentir amor por uma pessoa, o destinatário desse amor pode pedir (por uma ou várias da formas possíveis) que manifeste esse amor (o pedido já é discutível) mas será menos «aceitável», ainda, se não o sente por mim. Porque é que alguém há-de julgar-se no direito de receber amor se retribui com o oposto (por exemplo)?

      Eliminar
    2. Mas teríamos (e poderemos ter) assunto para um longo diálogo.
      :)
      Beijinho

      Eliminar
    3. pegando no teu exemplo, quando se sente amor por alguém,mesmo que não se mostre ainda assim já se esta a dar, pois o pensamento tem uma carga energética muito forte,se o outro não percebe, ou não tem para dar é outra coisa até porque somos responsáveis pelo que damos não pelo o que o outro faz,nós vimos o amor como troca e cobramos e queremos,penso que é normal assim são os afectos o amor dos sentidos, mas no fundo não é o verdadeiro amor que é dádiva pura, mas como dizes isto dava pano para mangas, e no fundo é só a minha forma de entender não quer dizer que esteja correcta,
      beijinhos

      Eliminar
    4. Esta é a parte que adoro, o diálogo puro, franco e não forçosamente concordante, mas com respeito, sempre. E não estou a dizer que não concordo contigo. Depois há um momento em que a escrita se torna castradora, enquanto veículo de debate, dialogo.

      Sabes, uma frase pode dizer tudo num contexto, num momento. Mas, normalmente, é um rastilho para uma multiplicidade de entendimentos, de sensações e, até, de contradições.

      Obrigado!
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Talvez não devessem ser pedidos mas, os sentimentos (que abarcam tantas "definições") e afectos [afetos] (que também contém várias "definições" - amor, amizade...) também se pedem e há pedidos que não se devem fazer, principalmente quando não podemos retribuir.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seria uma questão de sensatez, mas é certo que a sensatez não é um axioma.
      Beijinho

      Eliminar