quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

O período, a frequência, a frase e historietas padrão


     O movimento executado por um corpo e o tempo necessário para que se repita novamente. Observo o pêndulo que, fixo, oscila livremente. No inverso, o número de ocorrências do evento no período de tempo. Solto um enunciado com sentido completo, numa só palavra, finalizado por um ponto de exclamação.

     Em sequência, uma etapa inconsequente e, entre beijos muito verdes e narizes-de-cera, o episódio de um grão de areia que, sem vontade e locomoção própria, como qualquer outro grão de areia, sem atritos que detém a parcialidade de metamorfosear o sentido da vida, procurava, sem saber, um refúgio, ainda que fugaz, que o ocultasse das confusões, das fricções, das intrigas, das derivas, dos desentendimentos, dos cobros e dos dejectos das gaivotas.


2 comentários:

  1. Olá Henrique gostei de ler o que escreveste. É bom ver a forma como tocas nas coisas, as descreves tão bem. Deixo-te um beijinho. Boa semana espero que tudo esteja bem contigo. Obrigada pela tua amizade.

    ResponderEliminar
  2. Olá, Noctívaga!
    És muito amável e amiga. Obrigado!
    Um beijinho

    ResponderEliminar