sábado, 18 de fevereiro de 2012

Infinito


Ainda que longe e apartado
Sempre estive contigo e em ti
Fiz-me ouvir enquanto silenciado
Senti que sentias um calafrio quando chegava
Que te surpreendia e assustava
Mas que te aquecia de seguida
Senti o quanto o teu âmago estranhava
O arrepiar da tua pele enternecida
Sob o meu toque doce e premeditado
Ainda que longe e apartado

Institui-me permanentemente voluntário
No interregno que nos uniu
E no meu amparo e cuidado gregário
Sê livre mulher e feliz
Desprende o rubor em matiz
Sempre estive ao teu lado
E amar-te foi de longe o que de melhor fiz
Senti que te fazia sorrir de agrado
Quando afastado te beijava imaginário
Institui-me permanentemente voluntário

Pude sentir o entumecer dos teus seios
Quando afastado e distante te desejava
Ousei e envolvi-me nos teus receios
Mas fiz-me presente e companheiro
Senti que sentias o meu afago inteiro
Quando uma ou outra lágrima te pendia
Experimentei o teu suspiro verdadeiro
E uma ou outra recordação nossa de alegria
Quando afastado e distante te desejava
Próximo e contigo te amava

4 comentários:

  1. Este é sublime Henrique. É lindo! Adorei. Está uma obra prima. Realmente, tu escreves e maravilhas! Um beijinho grande, um abraço apertado, parafraseando-te abençoada quem assim te inspira. Descansa bem. Bom Domingo.

    ResponderEliminar
  2. Adorei o sentimento que transmite, a envolvência, o amor.
    Amor!!

    ResponderEliminar