segunda-feira, 5 de março de 2012

Agora


Vão passar, em sequência, a ocasião, a etapa,
A época e o tempo.
Provavelmente vou continuar a pensar em ti
E a proferir milhares de frases de amor no silêncio
Dos meus pensamentos, assim como o faço
No silêncio dos nossos olhares,
Sem alienar a expressão e o seu repto filosófico;
Sem enjeitar a manifestação serena
Dos afagos e das frases de ternura.
Sem temor pela possível vinda do fim do mundo,
E as palavras que eu diria,
E que na minha cabeça vão ficar para sempre,
Porque, o que importa, agora, é sermos nós o fim!


3 comentários:

  1. Provavelmente vais... mas que o faças em paz contigo mesmo. Que as lembranças sejam serenas, te façam recordar os momentos bons... aquilo que vale a pena guardar e recordar.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  2. Olá, S.o.l.!


    Sinto-me em paz comigo e tento conferir o valor a cada coisa por aquilo que essa coisa representa, merece e é, consciente de que também erro, quando, de facto, erro.
    Resumidamente, o poema fala de um amor presente, no presente, vivido frente-a-frente e sem sensações de propriedade. Não envolve nada de obscuro ou ilícito.


    Beijinho

    ResponderEliminar