quarta-feira, 28 de março de 2012

Pontos que ganham vida no horizonte



Pequenos espelhos,
Porções de vida;
Poções de alento;
Punções de momentos densos, ornados;
Portões de existência certificada;
Calam a sua relevância para uma zona mais indefinida
E diluem-se numa diversidade de cor e luz.
Fracções de presença;
Facções de entidade;
Funções de objecto;
Cintilam no infinito.
Memórias.

Os espasmos da areia que se funde,
No fundo de um horizonte afirmativo.
O mundo quer que eu seja feliz.

2 comentários: