terça-feira, 27 de setembro de 2011

Movimento de torno


Movimento de torno

O retorno torna a volta imperfeita perfeita,
Num passo pesado com passado,
Sem conta, sem medida e cego espreita
Na grande avenida da vida estreita,
Ruela multicolor, escura e de outro lado,
Sobre a luz que permanece desfeita
Numa verdade contrafeita.
Um amor e não amado,
Num jogo claro, inseguro e cinza, condenado,
De uma rua que nunca foi direita.
Recta da vida que se deita,
Não dorme, não descansa, 
Dardo lança,
E fica um, só, sonho que parte desfeiteado!

Sem comentários:

Enviar um comentário