sábado, 7 de dezembro de 2013

a neblina abraça o chão


  
   

aguarda a neblina
um abraço que devolva o mundo
o céu está deserto
é um enorme espaço negro
repleto de noite e ausência aflita
com o sabor de um beijo clemente
onde pintei palavras brancas
que se soltam
e perguntam por ti a um deus desconhecido
em termos proibidos
ao som do marulhar incluso
e eu parti para algum lugar dentro de mim
sem tempo

  
   

1 comentário: