sábado, 21 de dezembro de 2013

subir ao desengano





a poesia dispersou-se pela encosta
vagamente antropoforme
por vezes nas asas de um milhano
por aqui a nada se aposta
tudo é autêntico e conforme
não há antefaces ou profano
de s. mamede debando do ano
enquanto aguardo que a palavra se forme
numa árvore que fala de amor sem plano



Sem comentários:

Enviar um comentário