terça-feira, 24 de dezembro de 2013

olá


Feliz Natal!



nada de novo: é natal, de novo
tudo parece tão artificial
papel, brilhos impostos e plásticos, à parte
sem pêlos no coração
impregnado de natividade
deixo que o fio de qualquer coisa se difunda
o amor de quem já não regressa
um momento não é a história
um desejo pode ser uma acção
que não sejam actos vazios ou infecundos
espalhem-se, por bem, abraços sinceros
pão de toda e qualquer espécie
amor
amor… é natal
natal também deve ser amor


  

Sem comentários:

Enviar um comentário