terça-feira, 31 de dezembro de 2013

num dia igual




as árvores despidas e revoltas e retorcidas 
pelos rigores urbanos e da natureza 
aparentemente deserta e de saída 
a cidade está aberta 
ao amor e ao adeus 
aos estrépitos dos artifícios 
ao gosto travo do mundo 
à outra face da lua 
e vazia também 
os pombos exclamam no arrulhar 
a cidade está escancarada 
eu entro nela para sair 
e regresso a um lugar mágico dentro de mim 
estou de partida 


    


Sem comentários:

Enviar um comentário