terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Incorpóreo limite


Quem desistirá primeiro?
Se uma vida está dissimulada
E outra entre mente proibida
Se um projectar é interdito
E um desejar impedido
Se a frase formada abandonar o modo
E o estilo for de silêncio
Se num tempo de adversidade
Não sobreviver a direcção
Se no carreiro de paz
Estacionarem a última mina
Se não me sobrar pelo menos a tristeza
Na ausência declarada da escrita
Não importa o direito!

2 comentários:

  1. Este poema tirou-me o descanso Henrique são tantos se e nenhum deles muito positivo, uma mina então mataria o que resta. Fé, força e luta. Vai tudo continuar a sobrar-te e com harmoniosa paz e constância. Acredita. Beijinho amigo bom dia de trabalho.

    ResponderEliminar