quarta-feira, 18 de julho de 2012

Na areia


Na areia escrevo,
Onde beija o mar,
De amor os versos.
Do amor eu vejo relevo
E do ar a respirar,
Por afectos submersos,
Numa esperança vaga
Que se alcança mal ao olhar
E se perde e afaga.

Na areia escrevo,
Onde ninguém poderá interpretar;
Onde havia areia e ainda há, debaixo do mar.


4 comentários:

  1. O mar como cúmplice e confidente, assim, apenas e simples. Agrada-me, gosto do poema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim. O sentimento "limpo".
      Obrigado!

      Eliminar
    2. Verniz Negro20/07/12, 01:00

      O mar é uma fonte linda de inspiração. Está tudo bem por aqui obrigado. Um bfsemana beijinho

      Eliminar
    3. Olá, Verniz Negro.
      Sim, o mar é mais do que uma grande extensão e massa de água. Pode influenciar e/ou provocar ideias e sentimentos, pelas ambiências como as cores/luminosidade, a humidade, a temperatura, os sons...
      Obrigado!
      Beijinho

      Eliminar