quarta-feira, 25 de julho de 2012

Sem sugestão


Deixa que cesse a inspiração
Deixa que me apague no oceano e no vento
E que se abandone o ponto
E o ponto do ponto
No ponto de fuga
Do ponto de partida
Do ponto brilhante
Deixa que se extinga a luz
E a luz da própria luz
Deixa que me recorde
E recorde que me recordo
De ti longe
Longe da tua silhueta
Longe do longe
E ainda mais longe
Depois de tão longe estar
Não encontro os trilhos
Muito menos os trilhos dos trilhos
E os outros caminhos dos caminhos
Caminhos distantes
Caminhos paralelos
Idênticos caminhos
Próximos caminhos
Caminhos com avisos
Avisos reportam para as linhas
E para as linhas das linhas
Das tuas linhas e traços
Traços que se tocam no esboço
Que adivinho de olhos fechados
Numa memória activa
E activa e activa
Traços que desejam abraços
E beijos
Mais abraços
Muitos mais abraços
Ainda beijos
Novamente beijos
Antes de beijos
Depois novos abraços
E desejos
Com desejos de desejos
Desejos maduros
Desejos patetas
E desejos simples
Desejos sós
Que não se extinguiram
Que nunca se extinguiram
E guiam a imaginação
Numa estrada com muitas faixas
E de dois sentidos
Com sentidos que despertam
Consentidos e que sentidos reprimem
E ocultam
Deixa que termine a referência
Deixa que me dissipe em ti
E me difunda numa sintonia sem retorno
Retorno ao rumo que não rumo
Rumo ao nada
De nada
Nada feito
Nada mais nada menos
Nada de novo
E nada não digas
Por tudo e por nada
Um nada
E por nada nada
Nada no meu rio
E rio de satisfação
Nada no meu mar
Mar por termos pintado
E sem termos salgado
Por termos de outros tempos
Tempos que falam de nós
E dos nós que se soltaram
Soltaram e saltaram afeiçoados
E afeiçoados partem
Partem sem partir memórias
Partem que partem o esquecimento
Partem e partem a distância
Partem e repartem o intervalo
Repartem que partem o hiato
Hiato do abraço
O abraço do abraço
O abraço no abraço
Abraço o beijo
E beijo o abraço
Beijo o beijo
E beijo e abraço
Abraço e beijo
Mesmo que
Mesmo assim
Coisa nenhuma
De modo nenhum



2 comentários:

  1. Verniz Negro25/07/12, 20:58

    Tão bonito. Que possas ser feliz em todos os abraços e beijos dados. Os caminhos e trilhos se cruzem, as distâncias se dissipem e a felicidade vos embale sempre.Uma boa noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, Verniz Negro.
      Obrigado pelo comentário e visita.
      Beijinho

      Eliminar