sábado, 11 de janeiro de 2014

à minha atenção




reinvento-me com as minhas sombras por perto
entre a multidão curvada e preenchida de certezas
nos espaços vazios
nos elementos em rigores de inverno
no inverno em rigores de sensações
no recôndito do peito
na ponta dos dedos
na ponta da língua
mas para mim serás sempre ria
embora também te chame laguna
escondida ou exposta nos meus escritos
com muitos outros termos
por outras palavras
noutros sinais
em algo novo




3 comentários:

  1. a vida, os amores são dinâmicos, vc mostrou bem a maleabilidade de uma alma pronta a reinventar-se de todas as formas. magnífico poema

    http://umanjotriste.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  2. Me encantó encontrar tu sitio, preciosas letras, estuve leyendo algunas entradas ... si me permites me quedo para seguirte.
    Abrazos desde Uruguay!

    http://sombriabelleza.blogspot.com/

    ResponderEliminar