terça-feira, 21 de janeiro de 2014

do cuidado




do tempo que está cansado, 
é a noite e um ponto sem retorno 
que se arrasta num meio morno. 
deixa que venha o sono de caso pensado 
e a fantasia de um ponto encantado 
no leito composto por chão de desejos e essência, 
para que te afague um sonho despreocupado, 
para lá e além do pardacento frio da incoerência 
no céu limpo do calor da existência. 


  

2 comentários:

  1. As vezes é necessário chamar os sonhos pra perto, lindo poema!
    Um beijo!

    ResponderEliminar