sexta-feira, 27 de junho de 2014

urbe XLIX




a rotação cumpria o seu papel no acto 
o dia acordou com um bramido do sol 
encontrou-me imóvel e sem sair de mim 
com receio de me perder 
perdido por não me recordar do nome 
de um rosto turvado e perplexo 
entre páginas em branco de folhas 
com linhas também em risco de acordar 
assim como os versos livres 
a cidade ainda não estava aqui 
uma-a-uma as palavras dos sonhos 
partiram para sonhar no avesso 
sob a exactidão que dói num cicio da lua 
uma-a-uma as outras palavras acordaram 
unidas aos sons de uma música que era eu 
a cidade começava em sinais intermitentes 
e arrolhada na firmeza do arrulhar dos pombos 
e da translação que nos trouxe até aqui 
digo-te agora que me espreguicei e sorri
a esperança era da piedade e eu não sabia 




1 comentário: