sábado, 7 de junho de 2014

urbe XXXII




o tempo regressa com novas formas 
sobre as portas fechadas da biblioteca 
saíram da cidade todos os pombos 
a verdade decadente ficou na rua 
a criar esperanças em corpos doridos 
os únicos que ainda habitam a noite 
os sinos abandonam a torre da igreja 
as mãos adormecem cheias de saudade 
se o amor entrar em convulsão repentina 
não há viva alma que o ampare e socorra



Sem comentários:

Enviar um comentário