domingo, 8 de junho de 2014

urbe XXXIII




as ruas de junho unem o céu e a terra 
à espera de serem postas em prática 
dentro de mim a cidade à minha espera 
que nunca me deixa de mãos vazias 
na partilha do vento da luz da sombra 
o momento é este de fazer sentido 
que é seguir numa direcção da rua



1 comentário:

  1. Adoro essas ruas que parecem becos... lembram nossas cidades historicas...

    Gostei da fotografia...

    ResponderEliminar