sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

a referência estava apenas adormecida




sobre as pedras soltas e descalças
no resultado de uma hesitação de luz
que canta cansaços de significados de sentidos
e sensibilidades na abstracção da pele

tudo o que eu possuo é uma névoa de palavras
em mais um poema vincado que trago na cabeça
um resto de dia e algumas interrogações
na diferença de um corpo degradável

espero naturalmente com a face embaciada
que tudo volte ao seu lugar voluntariamente
enquanto examino a noite por dentro

sigo nos carreirinhos de versos
que precipitam as nuvens e as estrelas
e o fino fio de horizontes exequíveis




1 comentário:

  1. Preciosa fotografía Henrique y letras repletas de sensibilidad.
    Mil gracias por tu compañía, te deseo un hermoso fin de semana, besos.

    ResponderEliminar