sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

da entrega


aveiro | portugal


há um beijo colado aos lábios, 
impaciente, na eminência de 
abandoná-los por pequenas razões. 

há um abraço pronto, sem estratégia, 
mas ansioso no preceito de envolver. 

este meu suspiro de rendição 
é para me entregar a ti. 
renascerei à frente, acessível, 
livre, ao teu lado: um igual. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. A imagem está espectacular, o reflexo está sublime, pena o autocarro, ter ficado ligeiramente cortado... mas às vezes não dá para controlar todos os elementos da imagem...
    E o poema... adorei... simples... despojado... directo, e por isso mais autêntico... do jeito que aprecio imenso...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar