segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

para a ilusão da indiferença


portalegre | portugal


penso de mim para mim, sentado 
num muro de palavras. apercebo-me 
da ilusão de possuir e da existência. 

não fui eu quem inventou deus 
num copo de vinho eupático, 
na taberna da diagonal manhosa. 

trago histórias e testemunhos 
sobre a cidade que se encolhe. 
recordá-los é aumentá-la. 

foram as circunstâncias a impor 
as distâncias, mas não fatalmente 
as decisões de prolongada ausência. 

o mesmo sol está além das nuvens 
diferentes e faz as pazes com o céu. 
espero que tudo esteja bem contigo. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. Gosto deste sol apaziguador... que parece mesmo fazer as pazes com o céu e connosco... fazendo antever um outro dia... repleto de histórias e testemunhos... para contar e acumular... tanto em imagem, como em palavras, numa junção perfeita!
    Gostei! Bjs
    Ana

    ResponderEliminar