quinta-feira, 3 de março de 2016

sugestão de vigília


aveiro
aveiro | portugal


a volubilidade de março, que é uma página 
por abrir, a povoar as pálpebras da cidade: 
aveiro absoluto nas nervuras da ria, onde 
se exercitam palavras musculadas, verdes, 
sob janelas que vêem o seu silêncio aquoso. 

mimei o gato de terracota, imóvel, no telhado 
sobranceiro, onde se respira a fome palpável 
entre este gato destemido e aquela lua difusa. 
mas, por maldade, ou fatalidade dos meus olhos, 
pode não ser bem assim, quando incidir a luz 
de uma lua nova mais descomprometida. 

obedeço-me. dissolvo o teu nome na língua, 
na condição de acordado, para soerguer 
as mesmas palavras gastas de sonhos trocados 
de todas as noites que se confundem nas estrelas. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. Pois cá estou eu... só agora deu afinal, para passar por aqui...
    A imagem... está uma maravilha! Com a ria inspirando beleza e serenidade... que certamente inspiraram as palavras... evocando a cidade, e a paixão pela mesma...
    Gostei imenso!... Noites assim... como a da foto... proporcionam-se mesmo, a que se troque os sonhos... pelo permanecer acordado, apreciando a essência da cidade...
    Beijos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderEliminar