sexta-feira, 29 de abril de 2016

contornos


aveiro | portugal


por mim procuram todas as coisas, reais e imaginárias, da minha 
vida. o chão, que agora eu sou, não foi onde me vi pela última vez. 
mas não sei precisar quando foi. as palavras tornam-se imprecisas. 
os sentimentos mais concretos, deambulam, entre personagens 
fervorosos, ao sabor da imperfeição das palavras. mas, por dentro 
eu sei. e o céu cai numa força de expressão onde os pássaros voam. 
creio, e espero, que o meu melhor dia seja, sempre, amanhã. 
o meu melhor gesto será, sempre, aquele que ainda hei-de fazer. 
o meu melhor poema será, sempre, aquele que não escrevi. 
um dia, eu sei, ainda há-de faltar, irremediavelmente, do dia, 
do gesto, do poema: o melhor. mas, é mesmo assim. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. E o melhor sempre estará por chegar... e a faltar... e a vida é mesmo assim, nos seus contornos...
    Poema e foto, extraordinários, que se complementam, muitíssimo bem!
    Adorei! Bjs
    Ana

    ResponderEliminar