quinta-feira, 7 de abril de 2016

cumprimentos


costa nova do prado | ílhavo | aveiro | portugal



deixo-me ficar, no rasto do tempo, 
como quem espera pela metamorfose. 
a quietude sou eu, num momento mágico. 
fica comigo e com o azul aberto do céu, 
que une até ao esquecimento, 
nesta margem sem vento, sem prazo. 
o silêncio manda recomendações. 


 [palavras relacionadas]


1 comentário:

  1. uma imagem em completa sintonia com a quietude do poema.
    beijo
    :)

    ResponderEliminar